Pesquisar este blog

25 de junho de 2012

A sabotagem do diabo no Campo de Deus


"O inimigo, que o semeou, é o diabo". Mateus 13:39.

Na parábola do joio no campo de trigo existe um conflito entre o Agricultor e o seu inimigo. Enquanto um ordena a semeadura da boa semente de trigo, o outro sorrateiramente lança a erva daninha na terra. Jesus explicou que Ele mesmo, o Filho do Homem, é o responsável por plantar os filhos do Reino no mundo, enquanto a difusão da semente maligna e invasora é obra do diabo. Esse conflito explícito na ilustração do Mestre representa uma guerra histórica, universal e invisível que acontece entre forças Divinas e potestades espirituais do mal.


A sabotagem de Satanás contra os planos de Deus começou na dimensão celestial, quando seduziu parte dos anjos à rebelião (Jd. 6; 2ª Pd.2:4) e por isso foi lançado na terra. No jardim do Éden, assumiu a sagacidade da serpente e convenceu ao primeiro casal a comerem da árvore do conhecimento do bem e do mal, distorcendo o mandamento do Criador e fomentando a ideia de se tornarem como Deus (Gn. 3:1,5); Semeou discórdia e inveja no coração de Caim até que este assassinasse ao seu irmão (1ª Jo.3:12); A maldade de Caim foi a mesma que alcançou a geração de Noé, causou o dilúvio e a confusão das línguas na Torre de Babel (Gn. 6:5; 11:1-9); Cheio de más intenções, Satanás também disputou com o arcanjo Miguel a respeito do corpo de Moisés (Jd. 1:9); Ele assediou os israelitas desde o Egito à Canaã, tanto as tribos como os reinos, para que adorassem a deuses estranhos, fabricados por mãos e imaginação humanas (Ex. 32, 1º Rs.11); Foi o diabo que intentou contra Jó e foi envergonhado pela sua fé e paciência (Jó 2).

No Novo Testamento, Satanás aparece tentando Jesus no deserto (Mt. 4); seus demônios tomam posse do corpo de pessoas provocando descontrole e agressividade (Mc. 1,23-27; Mt. 17:14-21; Lc 8,26-39) e também concedendo poderes de adivinhação (At. 16:16-18). Ele tentou a Pedro (Mt.16:23); encheu o coração de Ananias e Safira de cobiça (At. 5:1-11); Paulo chama a atenção para o fato de que tem poder para transfigura-se em anjo de luz e seus ministros aparentam ser ministros de justiça (2ª Co. 11:13-15), mas na verdade são promotores do engano e ensinam doutrinas de demônios (1ª Tm. 4:1). No Apocalipse, Satanás estará coordenando a trindade Satânica (Apocalipse 13.13-18) e o seu fim é ser lançado no lago que arde com fogo e enxofre (Ap. 20:10).

Quais as intenções do maligno? Jesus compara-o “a um ladrão, que vem para matar, roubar e destruir” (Jo. 10:10). Pedro escreve que “o diabo, vosso adversário, anda ao derredor, como leão que ruge procurando alguém para devorar (1ª Pe. 5:8). Paulo diz que não se deve ignorar os seus desígnios (2ª Co. 2:10,11), porém, resistir aos seus dardos com o escudo da fé (Ef. 6.16); Tiago orienta não dar espaço, antes resisti-lo a fim de que fuja (Tg.4:7). Como na parábola o inimigo sabota o campo a fim de que ramos de trigo sejam arrancados, no reino espiritual o propósito diabólico é destruir a criatura feita a imagem e semelhança do Criador. O seu ódio contra Deus alimenta a sua ira contra o homem.

Nesse intento, age covardemente, à noite, “pelas costas”, explorando a fraqueza dos que dormem, encobrindo a luz do Evangelho da glória de Cristo, cegando o entendimento dos incrédulos (2ª Co. 4:3, 4). Ele se utiliza de homens maus, que têm aparência de piedade, mas negam o poder de Deus. “Foge também destes”, é o conselho de Paulo (2ª Tm 3:1-9).

O mundo está disseminado de joio plantado pelo diabo. Mas a nossa luta não é contra as pessoas que ele usa, mas sim contra Ele mesmo, que sutilmente planta ideias, promove ações e desejos que contrariam a vontade de Deus para a vida humana. A guerra já foi vencida por Jesus (Rm. 8:31-39), mas enquanto não chegar o desfecho final, teremos de lutar vestidos da armadura concedida por Deus (Ef. 6:10-17).

Pr. Alex Gadelha

0 comentários:


Conselhos no Twitter