Pesquisar este blog

1 de julho de 2010

Ouvir com os Ouvidos e com o Coração


Para ouvir e viver a voz de Deus é preciso escutá-la não apenas com os ouvidos, mas também com o coração. O termo coração é freqüentemente usado na Bíblia para explicar o mais profundo do ser humano. Ele é entendido como o centro da razão, das emoções e da vontade. O problema de muitos da época do Antigo e do Novo Testamento, assim como dos dias atuais, consistia em ouvir o mandamento sem reflexão ou com indiferença.

Os fariseus eram assim, pois conheciam os 614 mandamentos da Lei, as festas, os “dias santos” e todos os rituais judaicos. Ele proferiam belos discursos, esmolavam aos pobres, vestiam-se com “reverência”, davam louvores a Deus e cantavam belos hinos. Mas infelizmente não passava de teatro, já que não atentavam em seguir a voz de Deus. Conhecendo a sujeira interior Jesus censurava a estes religiosos comparando-os a copos, pratos e túmulos que eram limpos em seu exterior, mas imundos por dentro (Mt. 23:25-28). Podemos perguntar: O que aconteceu para que chegassem a tanta superficialidade e hipocrisia? O Senhor responde citando o profeta Isaías: “Porque o coração deste povo está endurecido, de mau grado ouviram com os ouvidos e fecharam os olhos” (Mt. 13:15). Com o decorrer do tempo eles se tornaram frios em relação à palavra de Deus, preferiram a glória humana (Jo. 5:44; 12:43) e logo mergulharam em uma religiosidade frívola, distanciando-se da adoração em espírito e em verdade.

Qualquer um corre o risco de se tornar assim como os fariseus, indiferentes à voz do Senhor. Como medida preventiva podemos cultivar atitudes que ajudarão a viver a mensagem Bíblica:

1. Reconhecer o devido valor da Palavra de Deus. “Para mim vale mais a lei que procede da tua boca do que milhares de ouro ou de prata” (Sl. 119:72). Aqui o salmista revela suas prioridades e a Palavra de Deus estava à frente do lucro material.

2. Um espírito de submissão. Como o de Samuel que foi orientado pelo sacerdote Eli para responder a Deus da seguinte forma: “Fala, Senhor, porque o teu servo ouve” (1 Sm. 3:9). Ouvir com obstinação e teimosia não adianta, a exortação Bíblica é acolher a palavra com espírito de mansidão (Tg. 1:21).

3. Amor pela verdade. Jesus disse que “a verdade vos libertará” (Jo. 8:32) e que a palavra de Deus é a verdade (Jo. 17:17). Precisamos nortear nossas decisões não pelo que “sentimos” ou “achamos”, mas pela verdade de Deus revelada na Bíblia (2ª Tm. 3:16, 17).

4. Paciência. Sem imediatismo ou precipitação. Descanse no Senhor, rumine a sua Palavra e com paciência encontre as repostas que tanto procura (Sl. 40:1).

5. Comunhão com o Pai. Ele quer nos ouvir e responder a nossos anseios (Mt. 6:6). É imprescindível que tenhamos comunhão através da oração, das Escrituras e da adoração.

Acredito que seguindo com o coração as orientações reveladas na Bíblia podemos experimentar a boa, perfeita e agradável vontade de Deus. Isto não significa ausência de problemas, mas capacidade para vivenciá-los de forma sábia e confiante, superando-os com o auxílio do Espírito Santo.  

   Pr. Alex Gadelha

Conselhos no Twitter