Pesquisar este blog

24 de outubro de 2011

NÃO



            “Não” é uma palavra de impacto e na maioria das vezes é ouvida de mal grado. Exprime negação, significa proibição, limitação, recusa, oposição, por isso as pessoas não gostam de ouvi-lo como resposta. Sentem-se como se alguém estivesse manipulando sua vontade ou limitando o seu querer. Mas, o fato é que precisamos desse termo, sem ele não sobreviveríamos, pois um mundo de “sims” é um mundo de caos.
A primeira negativa que o homem recebeu foi no Éden, quando Deus estabeleceu a seguinte proibição para Adão e Eva: “...da árvore do conhecimento do bem e do mal, não comerás.” Gn. 2:16. O Senhor tinha entregado verbalmente uma grande lista de permissões, mas faltava-lhes a proibição que lhes dariam a oportunidade de escolha. Eles escolheram transgredir e até hoje sentimos as conseqüências do seu pecado. Realmente, quando teimamos em infringir os “nãos” estabelecidos por Deus, as conseqüências são terríveis: inimizades, contendas, crimes, doenças, morte, etc.
Observe o que aconteceu com a vida de um rei e de um povo que foram indiferentes ao NÃO de Deus: 
O rei Davi não atentou ao “Não cobiçarás a mulher de teu próximo” e a conseqüência foi um reino, uma família e um homem destroçado pelo pecado: O reino dividiu, o filho gerado do adultério morreu, incesto e assassinato ocorreram no seio da família, foi perseguido pelo filho Absalão, o qual morreu no conflito com o seu exército. Sua vida tornou-se um mar de angústias (Sl. 51). 
O povo de Israel também foi insensível aos mandamentos de Deus e por causa da dureza de seus corações ficaram prostrados no deserto. Dos milhares que saíram do Egito, apenas Josué e Calebe entraram na Terra Prometida. A morte daquela geração foi o preço da cobiça, idolatria, imoralidade e murmuração, coisas estas condenadas expressamente por Deus (1ª Cor. 10:1-11). Paulo diz “que estas coisas lhes sobrevieram como exemplos e foram escritas para advertência nossa, de nós outros sobre quem os fins dos séculos têm chegado”. Por isso, nossos olhos, ouvidos e corações devem estar abertos ao Não de Deus.
         Deus ensina também a dizer Não. O cristão tem de usufruir o poder de rejeitar tudo aquilo que está fora da vontade de Deus, tudo aquilo que não edifica nem gera saúde física e espiritual. Dizer não para o pecado é afirmar a fé em Jesus e revelar firmeza de caráter; é estar convicto do que quer e mostrar que não é manipulado pela opinião do mundo; dizer não é crescer espiritualmente revelando domínio-próprio, paciência e fidelidade; é manifestar resistência às tentações e força para obedecer à Palavra de Deus.
  • José do Egito disse não a sedução da mulher de Faraó (Gn. 39:7-23); 
  • Daniel disse não às finas iguarias da babilônia (Dn. 1:8); 
  • Sadraque, Mesaque e Abede-nego disseram não à idolatria (Dn. 3:16-18); 
  • No deserto da Judéia, Jesus disse não às propostas de Satanás (Mt. 4:1-11); 
  • Os apóstolos disseram não a ordem do Sinédrio de parar a pregação do Evangelho (At. 5:27-29).

         Duas decisões têm de ser tomadas dia a dia: A de obedecer ao NÃO de Deus e a de dizer NÃO para tudo aquilo contrário aos valores de Cristo. Agindo assim, estaremos construindo um caráter sólido, maduro e comprometido com Deus.


            Pr. Alex Gadelha

Conselhos no Twitter