Pesquisar este blog

25 de abril de 2011

Jeremias: A teimosia de um povo, o castigo e a misericórdia de Deus

Jeremias 1:1-10

Jeremias era filho do sacerdote Hilquias, de Anatote, uma cidade levítica a 5 km de Jerusalém. Iniciou o seu ministério profético ainda jovem, entre os anos 650 e 645 a.C., durante o favorável reinado de Josias, um dos “bons” de Judá. Entre os 19 e 24 anos de idade, recebeu o chamado de Deus para pregar contra a teimosia do povo judeu, avisar o castigo pelas mãos de nações pagãs e convocá-lo ao arrependimento. Devido ao sofrimento e as lágrimas por Jerusalém, ficou conhecido como “o profeta chorão”.
A TEIMOSIA DO POVO
No princípio de sua pregação, a nação de Judá estava submetida ao império Assírio, que em menos de um século foi destruído pelas forças babilônicas. Durante a subjugação a estes dois reinos, o povo abandonou ao Senhor para servir a outros deuses e ainda andaram em conformidade com suas práticas abomináveis:
- Adultério/traição: “Todos eles são adúlteros, um bando de traidores” Jr. 9:2;
- Mentira: “Curvam a língua como se fosse um arco, para a mentira” Jr. 9:3a;
- Malícia: “Avançam de malícia em malícia e não me conhecem, diz o Senhor” Jr. 9:3b;   
- Engano/Calúnia: “Todo irmão não faz mais do que enganar, todo amigo anda caluniando” Jr. 9:4;
- Zombaria: “Cada um zomba do próximo, e não falam a verdade; ensinam a sua língua a proferir mentiras; cansam-se de praticar a iniqüidade” Jr. 9:5;
- Falsidade: “Vivem no meio da falsidade; pela falsidade recusam conhecer-me, diz o Senhor”. Jr. 9:6.
- Quebraram a aliança: “Tornaram às maldades de seus primeiros pais, que recusaram ouvir as minhas palavras; andaram eles após outros deuses para os servir; a casa de Israel e a casa de Judá violaram a minha aliança, que eu fizera com seus pais” Jr. 11:10. 
O CASTIGO
O Senhor mandou proclamar que o Império Neobabilônico viria e assolaria o povo, numa cena de guerra, violência, assassinatos, fome, opressão e destruição: “Pois eis que convoco todas as tribos dos reinos do Norte, diz o Senhor; e virão, e cada reino porá o seu trono à entrada das portas de Jerusalém e contra todos os seus muros em redor e contra todas as cidades de Judá” Jr. 1:15.
Apesar do pronunciamento desta catástrofe, o coração dos israelitas permaneceu infiel. Diante de tanta teimosia, Jeremias parece desacreditar da conversão deles: “Este povo é de coração rebelde e contumaz” Jr. 5:23; “O meu povo não conhece o juízo o Senhor” Jr. 8:7; “O pecado de Judá está escrito com um ponteiro de ferro e com diamante pontiagudo” Jr. 17:1.
A MISERICÓRIDA DE DEUS
Em meio a um discurso ríspido e reprovador, o profeta também revela a fidelidade de Deus para consigo mesmo (2ª Tm. 2:13). Jeremias edifica e planta sementes de esperança, profetizando um futuro glorioso aos que regressam para Deus (Jr. 33). Mesmo diante de circunstâncias angustiantes, ele exorta os seus concidadãos a manterem firme a confiança no Senhor e na sua misericórdia.
Uma das promessas da compaixão do Senhor foi a substituição da aliança registrada em pedras para uma nova, inscrita no coração (Jr. 31:33). Tal aliança está em vigor e é feita ao depositarmos toda nossa confiança no sacrifício do Redentor. O pacto é feito pela fé em Jesus, o registro no coração é função do Espírito Santo. E qualquer que se arrepende, entregando a vida ao Senhor pode fazer parte deste concerto.


Pr. Alex Gadelha

Conselhos no Twitter