Pesquisar este blog

31 de janeiro de 2012

Liberdade com Cristo




     Há quatorze anos a Igreja Batista Regular da Fé tem pregado no Conjunto Liberdade I a libertação que Cristo conquistou na cruz do Calvário. É fácil notar homens e mulheres prisioneiros de vícios, angústias, medo, mágoas e alienação religiosa, seja neste bairro ou no mundo. O motivo principal para continuarem escravos de outros e principalmente de si mesmos está na falta de conhecimento de Deus, o Libertador. E a fonte mais confiável para nos aproximar dEle é a Bíblia, a chave para abrir as algemas da ignorância espiritual.
      A Palavra nos faz entender que a luz da glória do Evangelho de Cristo é capaz de iluminar a todos aqueles vivem no calabouço de suas almas, sufocados pela escuridão do príncipe deste mundo, Satanás. Enquanto ele rouba a alegria oferecendo prazeres transitórios do pecado, fazendo escravos do reino das trevas, Jesus oferece vida abundante, como um rio de águas limpas que flui de um coração de bem consigo, com o próximo e com Deus.
       A liberdade conquistada na cruz e registrada nos Evangelhos produz uma visão que ultrapassa os sofrimentos deste mundo. Quem conhece, confia e obedece ao Libertador, também experimenta aflições durante a peregrinação nesta terra, mas vence-as pela fé, com a convicção de que Deus pode até não mudar as circunstancias, mas transformará a maneira como reagimos a elas. Alguém liberto por Jesus é capaz de louvá-lo em meio às tribulações, por saber que um dia o seu Rei fará que os súditos morem no Palácio, assentem-se à sua mesa e celebrem a vitória sobre o pecado.
      Mas para ser livre é necessário que o prisioneiro queira. Não adianta abrir a cela para alguém que rejeita a liberdade ou que não reconhece estar preso. E não são apenas as drogas que escravizam a alma das pessoas, pois sentimentos como mágoas, rancor, ódio, inveja e orgulho também aprisionam. E ainda que alguém se considere livre destes pecados, não estará livre da condenação do pecado presente na sua própria natureza. O salário do pecado é a morte espiritual, a sentença é a condenação ao inferno. Podemos até nos livrar das angústias de nossa alma com muito esforço, mas nenhum ato de um humano pecador é capaz de satisfazer a justiça Divina, nenhuma caridade livrará a alma do lago que arde com fogo e enxofre. Ora, foi por isso que o Libertador habitou sua tenda entre nós e viveu como o Mestre a ensinar a Verdade que liberta. A Verdade não é uma teoria, é uma Pessoa, Jesus Cristo.
     Para a libertação da condenação do pecado e a transformação do pecador, Jesus ofertou a si mesmo em um ato de amor e justiça, o Justo morrendo pelos injustos. Com o seu sacrifício redentor rompeu as barreiras de aproximação entre o homem e Deus, oportunizou o livre acesso à presença do Pai. Uma presença que regenera o coração, a mente e a vontade.
Você quer ser liberto por Jesus? Então abra bem os seus olhos, ouvidos e coração para o que Deus tem dito. A Igreja da Fé no Liberdade I traz um recado de Deus. E se for ouvido com fé, produzirá a libertação da sua alma do mundo de pecados e da condenação eterna. 

Pr. Alex Gadelha.

Conselhos no Twitter