Pesquisar este blog

25 de junho de 2012

A perversidade do joio

"o joio são os filhos do maligno" Mateus 13:39.
 
     Enquanto o trigo foi semeado pelo Dono do Campo, o joio é uma sabotagem do inimigo. Os filhos do Reino produzem atitudes que são frutos da presença Divina em suas vidas, enquanto os filhos do maligno têm impregnado perversidade em suas almas. Cada um reproduz os frutos da semente que está em seu coração (I Jo. 3:7-9). O joio tem amargura e veneno, causa tonturas e náuseas. Foi originado de uma atitude covarde.

     Ao brotar, o joio se entrelaça no trigo. Como numa ilusão de ótica se tornam idênticos quando observados à distância. Mas basta aproximar-se para notar a diferença, pois o joio não consegue sustentar a coerência, logo a constância de suas más ações o entrega. A sua máscara é transparente. Causa escândalos e pratica a iniquidade (v. 41).

     Jesus chamou os fariseus de filhos do diabo, porque assim como em Satanás, existia dentro deles desejo homicida e mentira (Jo. 8:44). Ora, o teste de paternidade espiritual de uma pessoa são os valores, princípios e ações que defende e pratica: “Nisto são manifestos os filhos de Deus e os filhos do diabo: qualquer que não pratica a justiça e não ama a seu irmão não é de Deus” (1ª Jo. 3:10). Enquanto os nascidos de Deus promovem vida em abundância através do amor, os descendentes espirituais do diabo agem como ladrões, focados em matar, roubar e destruir a alegria dos relacionamentos, a saúde do corpo, o descanso da alma (Jo. 10:10).

     O joio põe em risco o trigo. Se não for tratado com cautela, pode levar consigo aquela porção ainda imatura, verde. Por isso é importante nutrir bem a terra com a Palavra da Verdade, a fim de que a boa semente crie forças para apartar-se da erva daninha e brilhar junto aos raios do Sol, refletindo o caráter do Mestre Jesus. Se o trigo não for bem tratado adoece, apodrece, amarga.

      A pessoa-joio aparece no mundo e na igreja fazendo o serviço emperrar, provocando a perda do Alvo, desviando do Caminho. É um embaixador do maligno lançando sementes de amargura com a língua, azedando a doçura do grão que estava a vicejar no coração do pecador arrependido. Como um pouco de fermento faz levedar toda a massa, suas más conversações corrompem os bons costumes (1ª Co. 15:33), seus ensinos deturpam a verdade (2ª Pe. 3:16), fazendo de seus seguidores filhos do inferno duas vezes (Mt. 23:15). São homens maus e enganadores, que irão de mal a pior, enganando e sendo enganados (2ª Tm. 3:13).

      Como tratar o joio? Aquele que estiver na igreja deve ser notado com a exortação de Paulo: “Mas agora vos escrevi que não vos associeis com aquele que, dizendo-se irmão, for devasso, ou avarento, ou idólatra, ou maldizente, ou beberrão, ou roubador; com o tal nem ainda comais” (1ª Co. 5:11). A intenção não é condená-lo, mas fazê-lo reconhecer-se, instigando-o ao arrependimento e disciplinando-o em amor até que exerça a fé salvadora no Senhor Jesus. O joio que está no mundo deve ser adubado com a Palavra. Evangelizado. Depois, é esperar o milagre da transformação em trigo, da regeneração pelo Espírito Santo. Se isso não acontecer, resta apenas a fornalha.

      O destino do joio, tanto o que está na igreja como no mundo, é o inferno que arde eternamente com fogo e enxofre, onde há choro e ranger de dentes (v. 42). Essa separação definitiva acontecerá na consumação do século, quando os anjos lançarão os filhos do diabo no fogo, enquanto os justos resplandecerão no Reino do Pai Celeste, reluzindo como ramos maduros de trigo em um dia de céu azul.

     Ao fim desta reflexão resta-nos perguntar: Quem é você no mundo? Será que apenas aparenta ser trigo? Na verdade é joio e precisa experimentar a presença de Deus em seus caminhos e na sua mente? (Rm. 12:1, 2). E se és trigo, porque ages como joio? Está na hora de adubar a fé para sarar a alma e produzir nutrientes que alimentem quem estiver por perto. A Ceifa chegará.

Pr. Alex Gadelha

0 comentários:


Conselhos no Twitter