Pesquisar este blog

8 de fevereiro de 2009

O que Esperar de uma Igreja ao Longo do Tempo?

Diferente do lento processo de maturação que passa o corpo e a mente do ser humano, penso que a Igreja pode acelerar o seu crescimento. Não por suas próprias forças, mas pela dependência de Deus. Ser dependente de Deus não significa ser inútil ou inativo. Mas, pelo contrário, significa entregar-se durante o serviço. E dentre muitas coisas, essa entrega envolve a disposição de conhecer a vontade de Deus revelada na Palavra, o contato contínuo com o Criador por meio da oração, sensibilidade à voz do Espírito Santo, o compartilhar do coração uns com os outros na comunhão e acima de tudo a difícil decisão de amar ao próximo.

Creio que a vontade de Deus é que com o passar do tempo a Igreja cresça por meio dos seus membros. Cada um executando a sua função no Corpo, cooperando com todas as partes, fortalecendo-se mutuamente e intensificando sua influência sobre o mundo. Quando uma igreja pára de crescer, não é porque Deus quer assim, mas porque os membros não exercem os seus dons. Ora se alguns atrofiam, o Corpo inteiro sofre, sobrecarrega, pois somos uma teia de relacionamentos, interdependentes. Mas também não devemos esperar pelo dia onde todos assumirão suas responsabilidades ou quando deixarão de ser consumidores e possuirão um alto nível de vida devocional. Esse dia não existe. Primeiro, porque nem todos que vêm à Igreja são de fato convertidos à Jesus, segundo, porque alguns têm sido sufocados pelos cuidados, riquezas e preocupações desta vida.

E a idéia de “mudar a sua Igreja começando em si mesmo” só funciona se a intenção estiver voltada para adorar a Deus, edificar o irmão e evangelizar o próximo. Se a causa da aceitação de novas atitudes for egoísta, haverá mudanças, mas para pior. É necessário querer mudar a si mesmo para se ofertar como instrumento de transformação dos irmãos. É assim que o Senhor pode despertar a Igreja. É assim que podemos experimentar o milagre da salvação na vida de tantos amigos, familiares e desconhecidos.

Sou grato a Deus pelos poucos que remam no barco da Igreja do Senhor. Mas trabalho para que esses se multipliquem, influenciem e gere força capaz de impactar quem passa pela nossa comunhão. Imagino o dia onde a maioria da Igreja assuma sua responsabilidade pelo sustento financeiro, vença os vícios da preguiça, do escorar-se na liderança e seja firme na sã doutrina, não se deixando contaminar pelos modismos do mundo gospel.

Espero que não precise aguardar muito tempo para testemunhar um crescimento significativo da Igreja. Peço a Deus que faça de cada dia um divisor de águas para os anos que virão, caso o Senhor não nos arrebate.

Você pode começar a mover a vida de sua Igreja, decidindo rever atitudes e posturas, assumindo a sua parte no ministério e cumprindo sua função no Corpo. Não esquecendo de que todas estas atitudes precisam estar revestidas com o mesmo amor do Dono da Igreja: Jesus Cristo.

Pr. Alex Gadelha

0 comentários:


Conselhos no Twitter